quinta-feira, 27 de agosto de 2009

És mar, luz do alva, som doce, cálido dia de verão

Como deixei de dizer “te quero”
e ver esses belos olhos
perguntar-se o tempo todo
que faço procurando-te.

Me negava a navegar
entre teus braços azuis
perdida em teu sorriso
mas evitando dizer o que sento.

Como deixei de dizer-te “te estranho”
e só escrevê-lo em cartas
que lês e quiçá chegas a apagar
sem ver, sem sentir, sem crer
que é para valer.

Agora vais trabalhar
enquanto caminho sem dar-te um beijo,
sem sentir teu abraço terno mar,
e esta noite navegarei a teu lado
só sonhando contigo.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba



Nenhum comentário: