sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Como um redemoinho

Folha arrancada
que abraça e beija
dizendo “te quero muito,
mas devo ir-me…”

Sim, será outro eclipse
escurecendo todo meu céu
recordando por que me afastei tanto,
tanto tempo, tão longe.

Será que ela é dia
e eu a noite,
serei quem te acurruca num sussurro,
mostrando estrelas
que negas olhar.

Não te vás tão cedo
que eu me lembro por que te quero
e rme lembro por que te vais.

Estefanía

Um comentário:

*Luna disse...

Hola cielo un bello poema
un beso