quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Não te quero ver desaparecer

Desaparecer com cada passo
é o que desejo,
desaparecer porque esses dias
a teu lado estao tao presentes
e apesar de que a chuca
golpeia meu rosto,
só teu silencio dói.

Desaparecer levando-me essa cruz
que pus sobre ti
e que sento sobre minha,
enquanto revejo o mar
de Punta Hermosa.

Desaparecer com meu silencio,
com as folhas que o vento faz dancar,
e voltar-me pó,
voltar-me rosa cheia de espinhas
assim já ninguém poderá tocar-me.

Desaparecer enquanto me olho ao espelho
e já nao me encontro,
já nao há sorrisos
que desenhem algo mais em meu.

Já nao encontro nada neste dia.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba

* 23 Septiembre, 2009


sábado, 12 de setembro de 2009

Silêncio


Tua voz era minha paz e meu ruído...

A melancolia golpeia minha alma,
todos os dias voam qual folha sem rumo,
não há luz neste escuro sem ti.

Só tu sabes quem sou
e eu costumava saber quem eras
enquanto teus braços me atavam a tua presença.

Silêncio.
Sem ti só há silêncio.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba


quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Outra luz


Deslizábanse meus lábios sobre teus lábios
uma noite de inquebrantáveis desejos,
desapareceu um amor com sua lonjura,
estava tão perto mas, em mim, não estava.

Minha alma se erguia cada noite
esperando seu regresso
demasiadas noites estranhei seus braços
e o abraço que hoje me deste
me fez esquecer quanto o quis.

Desapareceu um amor com sua lonjura
sussurrou interminável que me acercará
e me afasta dele,
pois quando tu estás a meu lado
já não existe nem o mais mínima recordação.

Ele estava tão perto
e agora és tu quem oculta
sua luz com um beijo.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba

* 11 de Janeiro, 2004


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Culpa a quem é mais forte

Tanta culpa em meus versos
estás indo mais longe…

Morreu a força desses anos
ou o silêncio não explorado,
vejo cair de novo teu brilho.

Sentia tanto, tanto por ti,
mas ao sol chegaram as notas da nossa canção,
as recordações de tua voz com minha voz.

Realidade de meus sonhos
ou miragem do inverno.

Dar o alma e cair…
À noite se aferra meu corpo.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba

* 21 Abril, 2006

terça-feira, 1 de setembro de 2009

A dor por tua ausência

Não é fácil falar de ti,
e quisesse evitar este sentimento
que me faz estranhar-te
apesar de que te vi ontem.

Quero correr até cair de cansaço
e chorar até não ter mais lágrimas,
sentir a dor por tua ausência
e apesar de tudo...
não falar mais de ti.

Não é fácil falar de ti,
quando desejo escutar-te
sentir teus abraços,
apesar de que já não me procures.

Quero correr até cair de cansaço,
livre deles,
de todo mundo,
livre do que sento por ti...


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba

* 3 Outubro 2007

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Melancolia



O que fica de teu ar
é a vida do alva neste dia.

Quando ris acaricias o vento,
liberdade de uma tarde
que efímeramente nos recolhe do solo.

Cai uma vez mais, só um momento
e guarda esse brilho que tinhas
ao olhar-me em janeiro.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba

* 19 de Abril 2006

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

És mar, luz do alva, som doce, cálido dia de verão

Como deixei de dizer “te quero”
e ver esses belos olhos
perguntar-se o tempo todo
que faço procurando-te.

Me negava a navegar
entre teus braços azuis
perdida em teu sorriso
mas evitando dizer o que sento.

Como deixei de dizer-te “te estranho”
e só escrevê-lo em cartas
que lês e quiçá chegas a apagar
sem ver, sem sentir, sem crer
que é para valer.

Agora vais trabalhar
enquanto caminho sem dar-te um beijo,
sem sentir teu abraço terno mar,
e esta noite navegarei a teu lado
só sonhando contigo.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba



segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Aquele...

Aquela forma
ingressa antes de mais nada, todos,
acalma meus desejos de afastar-me tanto de todos,
fico vendo sua mirada.

Aquele homem
semeia em todas partes
acalma cada instante, afasta-me, volta,
fico confiando em que não se irá tão cedo.

Aquela voz
encanta em minha, tudo,
acalma meus silêncios, meu caos,
fico tratando de ouvir seu riso.


Estefanía Rodríguez * Tefy Alba

* 21 de Maio, 2007

sábado, 22 de agosto de 2009

UMA NOITE MAIS SEM VOCÊ

Meu amor é um poeta
que escreve com seu olhar
palavras novas e esperança.

Nessa noite que apareceua
quele anjo com roupas brancas
é hoje um homem
que ainda esta tão longe.

Já vi seus braços abertos
os beijos infinitos
era só um sonho de estrelas
que eu achava perto de mim
e depois vi que elas estão tão longe
como você neste dia, neste dia de você.

Estefanía Rodríguez * Tefy Alba.

* 22 de Agosto, 2005.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Fica comigo

Jasmins sem cerejeiras em primavera
espero ver se voltarás,
se terás a recordação de meus beijos,
uma parte de minha que contigo vai
só para que possamos regressar.

Tenho a cruz em meu braço direito
em onde um golpe fica de recordação
ainda te espero antes de ir-me
meu sol que chega a ocultar-se
ou se guarda para sempre em teu olhar.

Mil detalhes que já esqueci
uma semana sentindo tua ausência,
quanto estranho esses 2 dias e
hoje se perde meu sorriso sincero
ocultando minha efêmera paz.

Estefanía * Tefy Alba

* 9 Novembro, 2006

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Como um redemoinho

Folha arrancada
que abraça e beija
dizendo “te quero muito,
mas devo ir-me…”

Sim, será outro eclipse
escurecendo todo meu céu
recordando por que me afastei tanto,
tanto tempo, tão longe.

Será que ela é dia
e eu a noite,
serei quem te acurruca num sussurro,
mostrando estrelas
que negas olhar.

Não te vás tão cedo
que eu me lembro por que te quero
e rme lembro por que te vais.

Estefanía

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

No Edén...

Eva comeu a fruta proibida,
Adão a abraço e ela já não era Eva.

Vermelho céu de um anoitecer,
só eles sabem o que fizeram…

O perfume dele ficou nela,
os latidos aceleravam
aquela tarde em que abriram os olhos.

Eva já não é Eva,
enquanto caminhava vendo o céu enrojecer
com o perfume da pele dele.

Estefanía * Tefy Alba

sábado, 8 de agosto de 2009

Esperança


Se pudesse compreender
por que hoje não saiu o sol,
se soubesse como podes
esconder o que sentes.

Tratei de procurar
algum motivo, alguma razão,
porque feres a meu ser
e a meu coração.

Tudo o que te digo,
para ti só é o vento;
enquanto cada suspiro meu
nasce ao pensar em ti.

Teus olhos me disseram mil coisas
mas de tua voz não ouvi um "te quero",
e mesmo assim, em minha alma,
sempre estarás...

E hoje teus olhos
não me olham como ontem,
e por ti, meu sorriso,
oculta uma lágrima.

Cada carícia me recorda teu ser,
cada mirada tua, em mim,
se volta esperança.


Estefanía Rodríguez P. * Tefy Alba

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Voce ideal


Encontro a suave chuva em teus lábios
a terna carícia em teus olhos
uma doce cor existe entre nós
todo um mundo ideal dentro de ti.

A infinita melodia em teus abraços
o ocaso e o alva em teu sorriso
canções com tua voz que são minha brisa,
com um mundo imperfeito dentro de ti.

Desejo muitos dias a teu lado
com eclipses e estrelas cada dia
ver a lua junto ao mar numa fotografia,
nesse mundo ideal e imperfeito quero viver.

Estefanía * Tefy Alba

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Fugaz

Tremi só com ver-te...

Deste-me o sol
e abriste teus braços
para as boas vindas
a outra etapa de minha vida
e me dás a lua também...

A mudança de minha alegria,
que devo dar?;
o mundo tem bondade
e poucos restos de liberdade
quando meu sorriso se reflete em ti.

Deixas-me sonhar com sonhar
pois demasiadas noites
percorrem minhas veias
e te olho mal
em minhas noites de insônia.

Estefanía * Tefy Alba

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Já não tento procurar-te


Perdi tua fotografia
aquela que guardava em minha mente,
os dias em que me sentia segura
quando te olhava fixamente.

O teatro começa,
formando o TUDO de minha vida
vou ocultando o que nasce
e tua alegria em imagens seguidas.

Perdi as ilusões
quando me falavas de esquecer-te
trate de esquecer-te em verdade
o tente enquanto recordava tua voz...

Te voltas sombra em meu caminho
e, apesar disso,
já não tento procurar-te.


Estefanía * Tefy Alba

(27 de Setembro, 2007)

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Não voltarei

Não quero dormir
quiçá para não te ver em meus sonhos
refletindo o que sento
um amor que se esta perdendo.

Não quero dormir
porque esta noite me perdoe
dos risos nervosos
do silêncio em que te deixei.

Não quero dormir
e saber ao dia seguinte
que eras outra miragem,
outro anjo caído,
outro engano da lua...

Não quero dormir
e ter a primeira luz do dia,
do dia em que me afastarei de ti.

Estefanía * Tefy Alva

(6 Fevereiro 2007)

sábado, 18 de julho de 2009

Efêmera - Imortal

Quero-te mais do que a um dia ensolarado
mais do que ao mar,
mais do que às noites de lua...

E aveces é tanto querer
que com dizê-lo não basta.

Que terrível soltar-nos,
que estranho tudo isto,
que incrível e que lindo é tudo
quando estou junto a ti.

Estefanía * Tefy Alba

--------

Para meu Imortal,
te quero muito...

domingo, 12 de julho de 2009

...

Vivendo num universo perfeito
porque um dia meu olhar
deu com seu olhar,
aprendi a querer e não tem esquecer,
existe alguém que está em mim
como se antes o tivesse procurado.

E aquela madrugada
com uma mirada me fez sentir especial,
com um beijo fomos ao céu da mão,
com um abraço me senti sua vida,
e é que não existe dor
quando ele está a meu lado.

Não quero que ele seja só a recordação
de noites de inverno
quando seus lábios deixam no ar
seus beijos que são só para mim,
não quero que tudo isto fique esquecido...

Estefanía * Tefy Alba

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Um dia de julho

Tive segundos inesquecíveis,
tua primeira mirada feliz
alegrando este inverno
que marca uma distância
de algum tempo até aqui.

Conseguiste encontrar-me palavras
desde a vez que sorrimos tanto,
mostrando-te minha alegria
essa alegria que tu criaste para mim.

Hoje me olhaste novamente,
deves saber que não quero ir-me
deves saber que eu te estranho
e me acerco para ficar-me em teu olhar.

Estefanía * Tefy Alva

domingo, 14 de junho de 2009

Novo Amanhecer

É melhor dormir esta noite
e não pensar mais em tuas palavras,
como conseguiste fazer-me feliz
e como acabas de fazer-me chorar.

É melhor pensar
do que todo passo por algum motivo,
não tomaste mais minhas mãos
porque estavam perto teus amigos.

Vou esquecer
tudo o mau que pôde passar
entre o mar e a lua,
a lua que já não aparece mais
e do que se aparece,
exige ao mar
que reflita sua luz.

A lua que vem e se vai,
o mar que deixou de chorar.

Novo amanhecer
pensando que não voltarei,
pensando que não voltarás.

Estefanía * Tefy Alba

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Efêmera ante teus olhos

Não posso seguir contando meus dias sem ti
perguntando-me como te foi hoje
se é que recordas a esta mulher
que tem escrito tanto sobre teus lábios.

Não posso seguir recordando os dias
que me olhavas detenidamente em silêncio
quando tudo o que pensava desaparecia
enquanto gravavas tua luz em minha memória.

E, quiçá te ajudei a esquecer-me
cada tarde que não estive a teu lado
sem perguntar-me se pensavas em mim
se precisavas olhar-me uma vez mais.

Já não voltaste a perguntar por mim…

E, voltei-me efêmera antes teus olhos.

Estefanía Rodríguez P. * Tefy Alba

terça-feira, 19 de maio de 2009

Um outono com nevoeiro, com dias de sol, com meus olhos só para ver-te

Desejaria ter mais de teus beijos,
mais abraços teus
mais do meu tempo para ti.

Vou sonhando acorda
te olho, olhas-me,
te sorrio, sorris-me,
tomadas minha mão
e caminhamos pelas ruas…

Nestes dias que parecem eternos
que desejo que durem
que desejo passá-los só junto a ti
temo perder a realidade algum momento.

Mas sento que me perco entre teus beijos,
beijos que quero sentir cada dia,
e cada tarde em que o sol
se despede de nós.

Enquanto todos se vão,
eu ficarei junto a ti.

Estefanía Rodríguez Palacios

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Numa noite

Tua voz me sujeita esta noite
tua mão me diz que fique
por mais do que desejo acercar-me,
não consigo dizer nada mais.

Teus olhos conversam com esta lua,
esta lua não cala ante tua mirada
a acalma que trazes esta noite
toma mais de minhas palavras.

Bastaram uns quantos dias
para que chegue a estranhar-te
cada vez que tu não estás.

Teus olhos conversam com esta lua,
tua voz me sujeita esta noite
tua mão me diz que fique contigo
e por mais do que consigo acercar-me,
não posso dizer nada mais.

Estefanía * Tefy Alba

segunda-feira, 20 de abril de 2009

AZUL

Mar,
sonho ser terra que cobres
nas noites de lua,
ser a paisagem formosa
ao qual te unes.

Estrelas refletidas em tua pele
que vem e vai constantemente
com tua brisa, teu riso, teu alento
com teu sal voltado mel.

Mar,
o vento afastava minha mirada
de tantas horas sem tua acalma
o céu que refletia tua luz
sem importar nada.

Mais de 3 meses sem ver o mar
pela cinza que alimenta o outono
que me leva longe,
me tira as recordações
tua brisa, teu riso, teu olhar.

Estefanía * Tefy Alba

sábado, 18 de abril de 2009

Quando a "saudade" volta-se natural

Com uma canção
regressei àquele dia
em que nos beijamos,
tomamo-nos da mão
e "janeiro" ficou nos meus braços.

Assim cada ano
nos vimos em verão
mas esta vez não quis deixar-te.

Tenho saudade da tua mirada cheia de paz...

Um abraço, só um abraço,
o calor pôde afastar-nos
e teus sonhos foram meus sonhos
naquela tarde de verão.

Estefanía * Tefy Alba

domingo, 12 de abril de 2009

As vezes ouço o latido deste coração

Se irá minha voz quando o reveja?
Porque o vento abriu uma porta
e um pouco de vida entrou essa vez,
agora em mim, há uma parte dele.

Mas as coisas mudaram
ainda minha vida encerra algo,
levo a recordação em alvo
aqui e a onde vou.

Poderá mudar minha vida um som,
o piano ou uma canção?
Que hoje só ouço o mar
e o vento nas noites.

Luas que me recordam
as noites quase eternas
que passe alguma vez
as estrelas que admirei,
os desejos que pedi
são as noites de minha ontem.

Estefanía * Tefy Alba

terça-feira, 7 de abril de 2009

Foi Ontem

Te procurei por tanta nostalgia,
estranho até tua mirada
que jogava a encontrar
algo novo em mim.

Me abraçaste ao despedir-me
desejaria que esses braços
não me soltem tão cedo
até deixar-me um pouco de ti.

Foi ontem quando soube
que realmente vivo
apaixonada de ti.

Estefanía * Tefy Alba

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Quando preferes ouvir ao vento

Quero ir-me a onde o dia me leve,
Brasil por 5 dias com 2 amigas,
cumprir meus planos esta vez.

Te olho tratando de que digas
o que quero escutar
e não dás teu braço a torcer.

Quero ir-me a onde a noite te leve
mas parece não te importar
se me vou ou fico.

Esta noite quis falar-te
e parece que preferes ouvir ao vento.

Estefanía * Tefy Alba

terça-feira, 31 de março de 2009

Me olhas...

Me olhas mas não me vês
te esfuerzas tanto ou pouco
para que me afaste de ti
enquanto respiro embaixo de minha vida,
não sê que sucede contigo.

Nem sabes quanto estranho
os dias que tomaste minha mão
no inverno, nas ruas;
com minha lonjura
soubeste manter-me cerca de ti.

Me esqueces cada tarde
sorris bem mais sem mim,
e sei que estás bem, muito bem
enquanto grito tão alto
que não podes escutar-me.

Sem ar e sem voz,
com falta de um abraço teu
e te vais sem dizer adeus,
já não me olhas mais.

Estefanía * Tefy Alba

BABEL

Por que quando o céu esta cinza
tu estás junto a meu?

E, é quando a primavera canta
que minha alma sabe entender
hoje tua mirada...

Não se prepara para escapar
de teu sorriso
e por como hoje teus olhos
me olham.

A cinza se alumia
com o sorriso
que quiseste oferecer
nesta derrubada
Torre de Babel.

Estefanía * Tefy Alba

Outro poema

Aquela forma
ingressa antes de mais nada, todos,
acalma meus desejos de afastar-me tanto de todos,
fico vendo sua mirada.

Aquele homem
semeia em todas partes
acalma cada instante, afasta-me, volta;
fico confiando em que não se irá tão cedo.

Aquela voz
encanta em minha, tudo,
acalma meus silêncios, meu caos;
fico tratando de ouvir seu riso.

Estefanía * Tefy Alba

Canto para ti

Piano triste,
sons do vento
e música
que acalmam este dia
sem nevoeiro.

Voz alegre,
sons do homem
que é música no alma
da mulher que ama.

Canta,
brisa no mar
de minha mirada
sons da noite
que traz um pouco de paz.
Estefanía * Tefy Alba

Frase


"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios... por isso rie, dança, canta , chora ...vive intensamente cada momento de tua vida antes que a função acabe e a peça termine sem aplausos". Charles Chaplin.